terça-feira, 5 de novembro de 2013

Alunos da INATEL ganham prêmio nacional com a criação de novo sistema de banda larga.


Uma ideia de dois estudantes de engenharia elétrica do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) de Santa Rita do Sapucaí (MG) foi a vencedora em uma feira de tecnologia realizada no Rio de Janeiro (RJ) na categoria start-up.  A dupla de alunos desenvolveu um sistema de banda larga para internet com fibra ótica, que além de proporcionar velocidade maior que os provedores atuais, deixa o custo mais acessível a grande parte dos usuários.

A dupla vencedora confessa que não imaginava conseguir a premiação, que dá também aos vencedores uma viagem ao Vale do Silício, na Califórnia, para conhecer uma grande empresa de chips de computadores. Depois de ficarem entre os 10 projetos classificados, apresentaram o trabalho para especialistas e deixaram para trás oito equipes nacionais e uma da Argentina.

“Era uma apresentação de cinco minutos em que tínhamos que apresentar o projeto,o produto e ainda vendê-lo. Foi muito difícil, mas eu fiquei até emocionado porque não esperava que conseguiríamos o prêmio”, contou o autor da ideia, Magno Nogueira.
  •  
Estudantes do Inatel conquistaram o 1º lugar no prêmio (Foto: Edson Silva/ Reprodução EPTV)Estudantes do Inatel conquistaram o 1º lugar no prêmio (Foto: Edson SilvaNa prática, trata-se de um equipamento para provedores de internet banda larga, que utiliza a fibra ótica. “Nós fizemos pesquisas em cima das tecnologias já existentes e mesclamos elas, para desenvolver algo que seja bom e a um preço acessível”, disse.

Desta forma, durante 1 ano e meio a dupla estudou e desenvolveu a melhor forma de apresentar o produto ao cliente. O resultado é que apenas um provedor pode ser acessado por até 14 casas de uma única vez. Já o aparelho criado pelos estudantes custa R$ 168, enquanto outro, similar, não sai por menos de R$ 500. “Valeu por todo esforço, já que agora vendemos ele para 11 estados, 70 provedores já compraram, é algo bem aceito”, comentou Clóvis Juliano de Carvalho.

Para o gerente da incubadora de projetos do Inatel, a conquista é muito boa. “Eles são bastante empreendedores e trouxeram um projeto promissor. Uma solução que pode contribuir para o desenvolvimento do nosso país”, comentou o coordenador geral, Rogério Abranches da Silva.

A empresa ainda está na incubadora, mas a tecnologia da dupla já é utilizada. Em Pouso Alegre(MG), um provedor de internet já contratou o serviço. “O retorno com os clientes tem sido satisfatório e o preço pago também caiu. O cliente que tem o meio de fibra ótica recebe o link com mais velocidade, qualidade e estabilidade”, considerou o analista de sistemas Arthur Távora.



Fonte G1

0 comentários:

Postar um comentário