segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Servidora pública desaparece em Poços de Caldas

Uma equipe do Departamento de Operações Especais da Polícia Civil (Deoesp) assumiu as investigações do desaparecimento da servidora pública Andréa Araújo de Almeida, de 34 anos, que foi vista pela última vez na quarta-feira (15), quando voltava para casa em Poços de Caldas (MG). Desde sábado (18), detetives da capital mineira estão na cidade para tentar encontrar pistas de onde a servidora possa estar. O caso é tratado com sigilo.

Ainda no sábado (18), a bolsa da funcionária pública foi encontrada próxima ao local onde o celular dela já havia sido encontrado na quinta-feira (19), em uma estrada de terra que liga Poços de Caldas ao distrito de Palmeiral, em Botelhos (MG). A Polícia Civil não informou detalhes e disse que dentro foram encontrados apenas que objetos pessoais e documentos.
Desaparecimento
A família de Andréa acredita que ela tenha sido vítima de sequestro. Segundo a família, ela foi abordada por volta de 18h30 de quarta-feira (15) a caminho de casa, no bairro Jardim Quisisana, onde morava há cerca de um mês. Na hora do fato, ela falava ao telefone com uma das irmãs, que ouviu quando pelo menos dois homens pediram para que ela saísse do carro. O veículo foi localizado abandonado pouco depois. O celular de Andréa foi localizado na zona rural na quinta-feira (16).
Segundo polícia, servidora já estava sendo ameaçada em Poços de Caldas. (Foto: Reprodução EPTV / Michel diogo)Segundo polícia, servidora já estava sendo ameaçada em Poços de Caldas. (Foto: Reprodução Michel Diogo)

Ainda conforme ele, apenas um boletim de ocorrência foi registrado no ano passado, depois de uma discussão do casal. A Justiça expediu uma medida protetiva e determinou que o empresário não se aproximasse mais de Andréa. Segundo o advogado do empresário, a medida sempre foi respeitada pelo ex-companheiro.
No boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, consta que Andréa foi ameaçada de morte pelo ex-companheiro, um empresário de 54 anos. Ela já tinha ido algumas vezes à delegacia para registrar as ameaças. No entanto, segundo o advogado dele, o empresário negou qualquer tipo de envolvimento no desaparecimento da servidora pública.
Na tarde de sábado (18), amigos e familiares saíram às ruas de Poços de Caldas em uma manifestação pedindo a participação da população para que pudesse denunciar e ajudar com informações para que a polícia possa resolver o caso.


Fonte G1 e PC

0 comentários:

Postar um comentário