segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Motorista responderá por homicídio culposo em acidente que matou médicos na BR-267


O motorista que dirigia uma carreta bitrem que bateu em um carro e matou pai e filho na BR-267, em Lambari (MG), foi indiciado por homicídio culposo. O acidente aconteceu na noite do sábado (15). Parte da carroceria da carreta se soltou, invadiu a pista contrária e atingiu o veículo. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a carreta estava em velocidade superior à permitida no local.
Os médicos oftalmologistas Jorge Pereira Dias da Silva, de 67 anos, e Jorge Augusto Siqueira da Silva, de 29 anos, pai e filho, viajavam de Três Corações (MG) para o Rio de Janeiro quando o carro em que eles estavam foi atingido pela parte de trás da carreta bitrem, que se soltou do engate e invadiu a contramão.

O acidente foi em uma curva logo no fim de uma descida. O trecho é bastante sinuoso e há vários alertas para os motoristas reduzirem a velocidade. Para quem segue sentido à Rodovia Fernão Dias, caminho que percorria a carreta, a velocidade máxima permitida é de 40 quilômetros por hora, mas segundo a Polícia Rodoviária Federal, o excesso de velocidade pode ter causado o acidente.
Médicos trabalhavam em Três Corações e voltavam para o Rio de Janeiro pela BR-267 (Foto: Polícia Rodoviária Federal)
A carreta bitrem seguia muito acima da velocidade permitida para o trecho segundo depoimentos de pessoas que viajavam atrás do veículo, que comprovam isso”, afirma o policial rodoviário Thiago Santana.
Ainda segundo o delegado Ronaldo Nogueira Marques, o motorista, de 31 anos, confessou que estava acima da velocidade permitida. "A velocidade para o trecho é de no máximo 40 quilômetros por hora e ele estava a uma velocidade de 70 quilômetros por hora, como ele mesmo afirmou em depoimento e a perícia preliminarmente me informou", disse.

O motorista do bitrem não ficou ferido e foi levado para a delegacia de Três Corações (MG), onde prestou depoimento e foi indiciado por homicídio culposo (quando não há a intenção de matar). O delegado estipulou uma fiança de 10 salários mínimos, mas o motorista não pode pagar e foi levado para o Presídio de Três Corações.
Médicos trabalhavam no Sul de Minas
Os médicos atendiam em um consultório no Centro de Três Corações e também no Centro Cirúrgico do Hospital São Sebastião na cidade, onde na sexta-feira (14) realizaram juntos 10 cirurgias de catarata.
Jorge Pereira Dias da Silva era chefe do setor de oftalmologia do Hospital da Lagoa no Rio de Janeiro (RJ) e trabalhava há 38 anos em Três Corações. Ele e o filho atendiam na cidade toda quinta e sexta-feira, e voltavam para o Rio de Janeiro no sábado. Jorge Augusto Siqueira da Silva era o filho caçula e faria 30 anos no dia 28 de fevereiro. Ele estava casado há pouco menos de um ano.

Os corpos foram enterrados neste domingo (16) em Niterói (RJ). Jorge Pereira deixa esposa e um casal de filhos, uma médica oftalmologista e um médico veterinário.





Fonte G1 e PRF

0 comentários:

Postar um comentário