sexta-feira, 7 de março de 2014

Mãe esfaqueia bebê de 7 meses

A criança está internada em estado grave

Um bebê de 7 meses foi esfaqueado pela própria mãe durante a madrugada desta quinta-feira (6) em Lavras (MG). Segundo o Conselho Tutelar, a avó materna da menina informou que a mãe, uma mulher de 27 anos,  até hoje, sofria de depressão pós-parto e que isso teria motivado a agressão contra a criança.

De acordo com a Polícia Militar, a avó da criança disse que acordou e ao perceber que ela não estava dormindo ao seu lado, foi procurá-la e em seguida, ouviu um choro e se deparou com a neta ensanguentada ao lado da mãe.

O bebê foi socorrido pela avó e levado para a Unidade Regional de Pronto Atendimento (Urpa) e em seguida foi transferida para o Hospital Vaz Monteiro, onde está internada em estado grave.  A garota teve três perfurações na região do abdômen e ficou com o intestino exposto.

Ainda segundo a ocorrência registrada pela PM, eles foram até a casa da mãe da criança, onde ela foi presa em flagrante por tentativa de homicídio e levada à Delegacia de Polícia Civil de Lavras. Ela confessou ter esfaqueado o bebê e disse que o motivo foi uma discussão, na noite anterior, com o pai da criança. Ela contou ainda que esperou todos dormirem para agredir a filha.
Mãe da criança fazia tratamento no Caps e tomava remédios (Foto: Reprodução EPTV)                    Mãe da criança fazia tratamento no Caps e tomava remédios 
A polícia informou ainda que a faca utilizada pela mãe para ferir a criança foi encontrada escondida no telhado da casa, em um cômodo nos fundos do imóvel. A faca foi apreendida. Ainda segundo os militares, a perícia da Polícia Civil foi acionada, mas não compareceu e alegou que não havia mais vestígios de sangue no local do crime.
A mulher de nome Priscila alegou que a menina era um estorvo em sua vida, e que a atrapalhava. 
Segundo a avó materna, a mãe da menina tem problemas mentais e toma vários remédios controlados. Ela fazia tratamento no Centro de Atenção Psicossocial (Caps), mas teve alta no mês passado. A assessoria de imprensa da prefeitura informou que o tratamento feito no Caps pela mulher é sigiloso e que não pode passar informações. A mãe foi levada para o Presídio de Três Corações (MG).

A assessoria de imprensa do Hospital Vaz Monteiro confirmou que a criança está internada no local, mas que não tem autorização para dar detalhes sobre o estado de saúde.



Fonte G1 e PMMG

1 comentários:

Anônimo disse...

O marido dela não é ´pai da criança.Por isso a discussão.Ele aceitava a esposa de volta, mas não aceitava criar a menina por ser fruto de uma traição.

Postar um comentário