segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Adeus Tristão.


Morreu neste sábado (5/9/2015) o ex boxer, dançarino e fotógrafo Tristão, vítima de Leptospirose, uma infecção aguda, potencialmente grave, causada por uma bactéria do gênero Leptospira, que é transmitida por animais de diferentes espécies (roedores, suínos, caninos, bovinos) para os seres humanos. Esse micro-organismo pode sobreviver indefinidamente nos rins dos animais infectados sem provocar nenhum sintoma e, no meio ambiente, por até seis meses depois de ter sido excretado pela urina.
O contágio se dá pelo contato direto com a urina dos animais infectados ou pela exposição à água contaminada pelaLeptospira, que penetra no organismo através das mucosas e da pele íntegra ou com pequenos ferimentos, e dissemina-se na corrente sanguínea.
No Brasil, os ratos urbanos (ratazanas, ratos de telhado e camundongos) são os principais transmissores da doença e o número de casos aumenta na estação das chuvas, por causa das enchentes e inundações. Infelizmente, o risco não desaparece depois que o nível das águas baixa, pois a bactéria continua ativa nos resíduos úmidos durante bastante tempo e  Tristão morava bem próximo ao rio verde, e talvez por isso tenha se infectado.
Tristão era um fidalgo que se vestia com o apuro de um lorde, sempre de terno e gravata. Era um eterno dançarino, que mesmo sem par bailava por entre as mesas do calçadão de São de São Lourenço,  no forró da praça Brasil ou no Escondidinho. Sua parceira inseparável, a máquina fotográfica fotografou gerações e guardou em suas lentes passagens da história de São Lourenço.
O domingo amanheceu nublado e sem bailado, a foto ficou em preto e branco com o amarelado da sépia por saudade do amigo que partiu.
Por entre as nuvens já existe um salão que agora abriga um dançarino que rodopiando entre as estrelas vai flutuando em busca do som das trombetas angelicais.
Vá em paz grande amigo !!!!!

0 comentários:

Postar um comentário