terça-feira, 11 de outubro de 2016

Prefeito de Caxambu renuncia ao mandato


O prefeito de Caxambu (MG), Ojandir Ubirajara Belini (PP), conhecido por Jurandir Belini, entregou uma carta de renúncia ao cargo à Câmara de Vereadores da cidade, na tarde desta segunda-feira (10). No documento, ele afirma que o motivo da renúncia é pessoal e não está ligado a nenhum fato relacionado à administração pública.
Belini já teve o mandato cassado pela Câmara Municipal, mas recorreu e voltou ao cargo. Na ocasião, uma Comissão Parlamentar de Inquérito concluiu que o agora ex-prefeito teria cometido crime de improbidade administrativa ao usar um carro oficial da prefeitura sem motorista e por ter provocado prejuízos aos cofres públicos ao se envolver em um acidente com o veículo, que teve perda total, em outubro de 2015.
Por telefone, Jurandir Belini explicou que o motivo que o levou à renúncia foi a saúde da filha, que está internada há alguns meses. Ele chegou a disputar a reeleição nas eleições deste ano, mas perdeu para Diogo Curi, do PSDB, que foi eleito com 49,73% dos votos válidos. Já Belini, recebeu 452 votos o que corresponde a 3,41% do colégio eleitorado do município, e terminou em quarto lugar.
Afastamento
O prefeito Ojandir Ubirajara Belini foi investigado pela câmara em um suposto caso de improbidade administrativa. No dia 4 de julho deste ano, após votação, a maioria dos vereadores decidiu afastá-lo do cargo por 90 dias.
Segundo os vereadores, Belini usou um carro oficial sozinho, em outubro do ano passado, contrariando a lei que determinava a presença de motorista. O prefeito acabou sofrendo um acidente com o carro em Conceição do Rio Verde (MG).
Acidente
Em outubro de 2015, o prefeito sofreu um acidente na zona rural de Conceição do Rio Verde (MG). O carro em que Belini estava capotou e ele foi socorrido por pessoas que passavam pelo local. O prefeito fraturou duas costelas e tomou 15 pontos na cabeça por causa do acidente, que aconteceu em um sábado à noite, quando o prefeito não estava no horário de trabalho.
Segundo a Câmara de Vereadores, não foi realizado um boletim de ocorrência e o veículo foi levado para um guincho em São Lourenço(MG). O município de Caxambu teria tido prejuízo com o pagamento do seguro, já que o carro foi comprado por R$ 82 mil e o valor pago pela seguradora foi de pouco mais de R$ 65 mil. O carro teve perda total.
Pedido para dirigir o carro
Em 2010, o Belini enviou um projeto de lei à câmara pedindo que ele fosse autorizado a dirigir o veículo. Um artigo proíbia a utilização do carro oficial para fins particulares, fora do horário de expediente. Mas os vereadores rejeitaram a proposta.
Apesar de Caxambu não ter uma lei que regulamente o uso de carros oficiais no município, o chefe de gabinete da câmara disse que o prefeito deveria estar acompanhado de um motorista, como determina uma lei federal. Já o procurador do município alegou que o prefeito estava sozinho por contenção de gastos.

0 comentários:

Postar um comentário