quarta-feira, 19 de abril de 2017

Polícia investiga participação de outros suspeitos em refinaria de drogas

A quantidade drogas era tão grande, que era usada uma betoneira para fazer a mistura


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) continua investigando outros suspeitos de participação na refinaria de drogas descoberta na zona rural de Cachoeira de Minas (MG). A ação realizada nesta segunda-feira (17) resultou na prisão de duas pessoas. Ainda segundo o Gaeco um terceiro suspeito está foragido e outras quatro pessoas estão sendo investigadas.
“De agora em diante nós podemos ter mais elementos e chegar até os outros indivíduos relacionados a esse tráfico aqui na região”, disse o subcoordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Fabiano Laurito.

As investigações duraram seis meses e contou com o apoio das Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal. “A Fernão Dias é uma rota tanto para chegar quanto pra passar e pra sair. Então, todo o tempo ela é uma rota e por isso a gente tem esse trabalho intensificado em cima do tráfico de drogas”, contou o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Emerson de Souza.
Droga apreendida em Cachoeira de Minas (MG) foi avaliada em cerca de R$ 1 milhão, segundo Gaeco 
Segundo a PM, a operação resultou na apreensão de 60 Kg de cocaína, 38 Kg de pasta base de cocaína, 7 Kg de crack, 19 Kg de cocaína refinada, três porções de cocaína refinada, R$ 1.110,75 em dinheiro, R$ 2,5 mil em cheques e quatro balanças de precisão. No local ainda foram encontrados galões com substâncias utilizadas para dissolver a pasta base de cocaína, uma prensa, celulares, dois veículos, cerca de 300 Kg de gesso e uma betoneira. Material que chamou a atenção da polícia.
“É uma máquina usada por pedreiros para fazer cimento, concreto. E essa máquina era usada [pela quadrilha] e apresentava resquícios de drogas”, completou o subcoordenador do Gaeco.
Em Cachoeira de Minas (MG), duas pessoas foram presas nesta segunda-feira (17) em uma refinaria de drogas 







(Foto: Polícia Militar)


O material foi apreendido em um sítio na zona rural, que segundo a investigação, era usado desde 2013 para o refino de drogas. O Gaeco acredita que a quadrilha distribuía a droga em Pouso Alegre (MG) e em outras cidades da região. A droga foi avaliada em cerca de R$ 1 milhão e será incinerada, segundo o órgão.
“Pelo que se verificou [eles] teriam condições trabalhando, ordinariamente, naquele local de refino, de produção de significante quantidade de drogas”, disse o comandante da Polícia Militar, Eyder de Souza Lambert.
O material e os dois suspeitos foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil de Pouso Alegre.

Polícia Militar divulga relação da apreensão e como foi a ação contra os marginais



Na tarde desta segunda-feira, 17 Abril 2017, o 20º Batalhão de Polícia Militar desencadeou uma operação conjunta com a Polícia Civil, Polícia Federal e GAECO – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado - e durante cumprimento do mandado de busca e apreensão foi descoberto um local utilizado para refino de substâncias entorpecentes em um sítio na área rural de Cachoeira de Minas na divisa com o município de Pouso Alegre.
Informados das características do local, a equipe cercou a residência e ao adentrar, um dos cidadãos infratores saiu do interior de um veículo correndo e se embrenhou no mato. No compartimento da porta do motorista do referido veículo, de onde o autor saiu, foram encontrados documentos pessoais que ajudaram a identificar os autores.
No fundo falso de um segundo veículo foi localizada certa quantidade de drogas.
No interior da residência foram abordados outros dois autores, de 30 e 28 anos, ambos estavam sentados em um banco na cozinha embalando uma substância esbranquiçada com as características do entorpecente, conhecido por cocaína.

Em continuidade as buscas, foram localizadas e apreendidas:
  • diversas embalagens plásticas vazias, comumente utilizadas para o embalo de drogas,
  • 06 (seis) bacias grandes, com resquícios de uma substância aparentando ser cocaína,
  • 02 (duas) peneiras, com resquícios de uma substância aparentando ser cocaína,
  • 02 (duas) panelas pequenas com resquícios de uma substância aparentando ser crack,
  • 02 (duas) bacias pequenas com resquícios de uma substância aparentando ser crack,
  • 01 (uma) betoneira de virar concreto 150 L, com resquícios de uma substância aparentando ser cocaína,
  • 01 (uma) prensa (30 toneladas), com resquícios de uma substância aparentando ser cocaína,
  • 01 (uma) balança de pesagem para até 150 kg,
  • 03 (três) peneiras sem aro lateral,
  • 03 (três) balanças de precisão, marca Western,
  • 01 (uma) colher de pedreiro,
  • 02 (dois) aparelhos temporizadores,
  • 18 (dezoito) rolos de fitas adesivas sem serem usadas,
  • 06 (seis) rolos de fitas adesivas, já utilizadas,
  • 14 (quatorze) sacos, contendo uma substância em pó, de cor branca,
  • 03 (três) galões, contendo uma substância liquida,
  • 01 (uma) tambor, contendo uma substância aparentando ser cocaína,
  • 01 (um) tambor contendo uma substância em pó de cor branca,
  • 03 (três) bobinas, contendo sacos fracionados para embalagens,
  • 01 (um) frasco, contendo veneno tipo larvicida,
  • 01 (um) pacote de 500g, contendo purgante,
  • 48 (quarenta e oito) embalagens plásticas vazias, com resquícios de uma substância, aparentando ser cocaína, idênticas as embalagens contendo pasta base de cocaína,
  • 01 (um) balança de precisão marca Diamond,
  • 01 (uma) chave de motocicleta,
  • 01 (uma) chave de veículo de automóvel,
  • 38 (trinta e oito) barras de pasta base de cocaína, confirmada pela perícia, embaladas em embalagens plástica,
  • 05 (cinco) barras grandes, de uma substância aparentando ser crack, embaladas em embalagens plástica,
  • 04 (quatro) barras médias de uma substância aparentando ser crack, embaladas em embalagens plástica,
  • 19 (dezenove) pacotes, contendo grandes porções de uma substância aparentando ser cocaína,
  • 03 (três) pacotes, contendo pequenas porções de uma substância aparentando ser cocaína,
  • a quantia de R$ 1.110,75 (um mil e cento e dez reais e setenta e cinco centavos), em dinheiro,
  • 03 (três) telefones celulares marca Blackberry, cor preta,
  • 01 (um) telefone celular, cor cinza e prata, sem mais dados,
  • 01 (um) telefone celular, Marca Samsung, cor preta e amarela,
  • 01 (um) telefone celular, cor marron e prata, sem mais dados,
  • 01 (um) telefone celular, marca Blackberry, cor branca, vários cartões de crédito e documentos diversos.
Compareceu no local, a perita de plantão, que realizou os trabalhos de praxe.
Foram apreendidos os dois veículos que estariam utilizando durante a prática de atividades ilícitas, os autores presos e todo o material apreendido foi apresentado à Delegacia de Polícia.




0 comentários:

Postar um comentário