terça-feira, 22 de agosto de 2017

Brasil Detém 98% Do Metal Mais Valioso Do Mundo. O Nióbio Seria Capaz De Espalhar Riqueza Por Todo O País

Com 98% Das Reservas, O Brasil Não Tem Política Específica Para O Mineral. Exportações Cresceram 110% Em 10 Anos E Somaram US$ 1,8 Bi Em 2014

Brasil Detém A Maior Jazida De Nióbio Do Mundo. Temos 98% Do Metal Existente Em Todo O Planeta. Os Outros 2% Pertencem Ao Canadá

As maiores jazidas do planeta, encontram-se no Amazonas (na cidade de são Gabriel da Cachoeira) e em Roraima (na conhecida Raposa Serra do Sol).

Toda essa riqueza vai parar nas mãos da atravessadora Inglaterra”, que manda para a Europa e EUA.

O Nióbio é um dos metais mais raros do mundo e considerado fundamental para a indústria de alta tecnologia.
O elemento químico é usado como liga na produção de aços especiais. É um dos metais mais resistentes à corrosão e a temperaturas extremas.

Atualmente, o Nióbio é empregado em automóveis, turbinas de avião, gasodutos, em tomógrafos de ressonância magnética, na indústria aeroespacial, bélica e nuclear, além de outras inúmeras aplicações como lentes óticas, lâmpadas de alta intensidade, bens eletrônicos e até piercings.
A “questão do nióbio” teve como porta-voz mais ilustre o deputado federal Enéas Carneiro, morto em 2007 e que hoje tem em Bolsonaro seu defensor na questão do nióbio.


Na época, ela já alertava que, a fortuna obtida com a extração do do mineral, seria o suficiente para espalhar riqueza por todo o o país.
O cobiçado metal já chegou a ser relacionado até com o mensalão, após o empresário Marcos Valério afirmar na CPI dos Correios, em 2005, que o Banco Rural conversou com José Dirceu sobre a exploração de uma mina de nióbio na Amazônia.
O site WikiLeaks incluiu as minas brasileiras de nióbio na lista de locais cujos recursos e infraestrutura são considerados estratégicos e imprescindíveis aos EUA .
Recentemente, o nióbio voltou a ganhar os holofotes em razão da venda bilionária de uma fatia da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), maior produtora mundial de nióbio, para companhias asiáticas.
Em 2011, um grupo de empresas chinesas, japonesas e sul coreana fechou a compra de 30% do capital da mineradora com sede em Araxá (MG) por US$ 4 bilhões.

Embora seja enquadrado pelo governo federal como um mineral estratégico, o Ministério de Minas e Energia (MME) informa que não há previsão de “uma abordagem específica para o nióbio” dentro das discussões sobre o novo Marco Regulatório da Mineração, que deverá ser encaminhado em breve para o Congresso Nacional.
O Brasil detém praticamente todo o nióbio do planeta, mas este potencial é desaproveitado"
Monica Bruckmann, professora do Departamento de Ciência Política da UFRJ
“O Brasil detém praticamente todo o nióbio do planeta, mas este potencial é desaproveitado”, afirma a pesquisadora Monica Bruckmann, professora do Departamento de Ciência Política da UFRJ e assessoria da Secretaria-Geral da Unasul (União de Nações Sul-Americanas). “O que se esperaria é que o Brasil tivesse uma estratégia muito bem definida por se tratar de uma matéria-prima fundamental para as indústrias de tecnologia de ponta e que pode ser vista como uma fortaleza para a produção de energias limpas e para o próprio desenvolvimento industrial do país”, emenda.
Para o pesquisador Roberto Galery, professor da faculdade de engenharia de minas da UFMG, o Brasil deveria usar o nióbio como um trunfo para atrair mais investimentos e transferência de tecnologia. “Se o Brasil parasse de produzir ou vender nióbio hoje, isso geraria certamente um caos”, afirma.
Enquanto isso o governo aumenta impostos, retira benefícios do povo, extorque o trabalhador e sacrifica os aposentados. Enquanto isso existe uma imensa fortuna debaixo de nosso solo, explorada pelos gringos e negligenciada por esse governo corrupto e sem rumo e direção. Até quando?? O nióbio pode estar escondendo um roubo muito maior que o da Petrobrás.

0 comentários:

Postar um comentário