quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Ives Gandra Mostra A Realidade Do Brasil E Massacra A Turma Do ‘Mimimi’

Não Sou:
– Nem Negro, Nem Homossexual, Nem Índio, Nem Assaltante, Nem Guerrilheiro, Nem Invasor De Terras. Como faço para viver no Brasil nos dias atuais? Na verdade eu sou branco, honesto, professor, advogado, contribuinte, eleitor, hétero… E tudo isso para quê?
Meu Nome é: Ives Gandra da Silva Martins*
Hoje, tenho eu a impressão de que no Brasil o “cidadão comum e branco” é agressivamente discriminado pelas autoridades governamentais constituídas e pela legislação infraconstitucional, a favor de outros cidadãos, desde que eles sejam índios, afrodescendentes, sem terra, homossexuais ou se autodeclarem pertencentes a minorias submetidas a possíveis preconceitos.
Assim é que, se um branco, um índio e um afrodescendente tiverem a mesma nota em um vestibular, ou seja, um pouco acima da linha de corte para ingresso nas Universidades e as vagas forem limitadas, o branco será excluído, de imediato, a favor de um deles! Em igualdade de condições, o branco hoje é um cidadão inferior e deve ser discriminado, apesar da Lei Maior (Carta Magna).
Os índios, que pela Constituição (art. 231) só deveriam ter direito às terras que eles ocupassem em 05 de outubro de 1988, por lei infraconstitucional passaram a ter direito a terras que ocuparam no passado, e ponham passado nisso. Assim, menos de 450 mil índios brasileiros – não contando os argentinos, bolivianos, paraguaios, uruguaios que pretendem ser beneficiados também por tabela – passaram a ser donos de mais de 15% de todo o território nacional, enquanto os outros 195 milhões de habitantes dispõem apenas de 85% do restante dele. Nessa exegese equivocada da Lei Suprema, todos os brasileiros não-índios foram discriminados.
Aos ‘quilombolas’, que deveriam ser apenas aqueles descendentes dos participantes de quilombos, e não todos os afrodescendentes, em geral, que vivem em torno daquelas antigas comunidades, tem sido destinada, também, parcela de território consideravelmente maior do que a Constituição Federal permite (art. 68 ADCT), em clara discriminação ao cidadão que não se enquadra nesse conceito.
Os homossexuais obtiveram do Presidente Lula e da Ministra Dilma Roussef o direito de ter um Congresso e Seminários financiados por dinheiro público, para realçar as suas tendências – algo que um cidadão comum jamais conseguiria do Governo!
Os invasores de terras, que matam, destroem e violentam, diariamente, a Constituição, vão passar a ter aposentadoria, num reconhecimento explícito de que este governo considera, mais que legítima, digamos justa e meritória, a conduta consistente em agredir o direito. Trata-se de clara discriminação em relação ao cidadão comum, desempregado, que não tem esse ‘privilégio’, simplesmente porque esse cumpre a lei..
Desertores, terroristas, assaltantes de bancos e assassinos que, no passado, participaram da guerrilha, garantem a seus descendentes polpudas indenizações, pagas pelos contribuintes brasileiros. Está, hoje, em torno de R$ 4 bilhões de reais o que é retirado dos pagadores de tributos para ‘ressarcir’ aqueles que resolveram pegar em armas contra o governo militar ou se disseram perseguidos.
E são tantas as discriminações, que chegou a hora de se perguntar: de que vale o inciso IV, do art. 3º, da Lei Suprema?
Como modesto professor, advogado, cidadão comum e além disso branco, sinto-me discriminado e cada vez com menos espaço nesta sociedade, em terra de castas e privilégios, deste governo.
(*Ives Gandra da Silva Martins, é um renomado professor emérito das Universidades Mackenzie e UNIFMU e da Escola de Comando e Estado Maior do Exército Brasileiro e Presidente do Conselho de Estudos Jurídicos da Federação do Comércio do Estado de São Paulo).
Para os que desconhecem o Inciso IV, do art. 3°, da Constituição Federal a que se refere o Dr. Ives Granda, eis sua íntegra:
“Promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.”

sábado, 11 de novembro de 2017

JUIZ PRENDE MENORES ASSALTANTES E MANDA RECADO PARA OS DIREITOS HUMANOS: “NÃO GOSTARAM? ADOTEM ELES!”


Ativistas Dos “Direitos Humanos” (Leia-Se Bajuladores De Bandidos) No Brasil, Geralmente Vivem À Custa Do Povo Ou Militam Em Alguma Agremiação Da Esquerda Movida A Caviar E Whisky 12 Anos 

Alguns desses cidadãos inúteis para a sociedade foram contempladas com uma sugestão de um desembargador mineiro cuja visão diverge da maioria de seus pares pela inteligência, compromisso e responsabilidade para com a sociedade a quem serve.
O desembargador Rogério Medeiros Garcia de Lima (BH/MG) enviou uma carta onde ironiza quatro desses ‘bajuladores de criminosos’.
 A carta do desembargador foi publicada na Folha – Painel do Leitor: 
“Tenho uma sugestão ao professor Paulo Sérgio Pinheiro, ao jornalista Jânio de Freitas, à ministra Maria do Rosário e a outros tantos admiráveis defensores dos direitos humanos no Brasil.
Criemos o programa social “Adote um Preso”.
Cada cidadão aderente levaria para casa um preso carente de direitos humanos.
Os benfeitores ficariam de bem com suas consciências e ajudariam, filantropicamente, a solucionar o problema carcerário do país.
Sem desconto no Imposto de Renda.
” No último dia 17/01/2014 o mesmo desembargador, comentando a publicação de sua carta no jornal paulista, emendou com essa história vivida por ele:
“A Folha de SP publica carta minha, onde ironizo os “baluartes” dos direitos humanos.
Agora, com o morticínio de presos no Maranhão, jornalistas e intelectuais “engajados” escrevem e opinam copiosamente sobre a questão carcerária e os direitos fundamentais. São como urubus, não podem ver uma carniça.
Quando eu era juiz da infância e juventude em Montes Claros, norte de Minas Gerais, em 1993, não havia instituição adequada para acolher menores infratores.
Havia uma quadrilha de três adolescentes praticando reiterados assaltos.
A polícia prendia, eu tinha de soltá-los.
Depois da enésima reincidência, valendo-me de um precedente do Superior Tribunal de Justiça, determinei o recolhimento dos “pequenos” assaltantes à cadeia pública, em cela separada dos presos maiores.
Recebi a visita de uma comitiva de defensores dos direitos humanos (por coincidência, três militantes).
Exigiam que eu liberasse os menores.
Neguei.
Ameaçaram denunciar-me à imprensa nacional, à corregedoria de justiça e até à ONU.
Eu retruquei para não irem tão longe, tinha solução.
Chamei o escrivão e ordenei a lavratura de três termos de guarda: cada qual levaria um dos menores preso para casa, com toda a responsabilidade delegada pelo juiz. Pernas para que te quero!
Mal se despediram e saíram correndo do fórum.
Não me denunciaram a entidade alguma, não ficaram com os menores, não me “honraram” mais com suas visitas e … os menores ficaram presos.
É assim que funciona a “esquerda caviar”, concluiu S. Exa.
Se metade dos juízes brasileiros tivessem 10% da inteligência e responsabilidade desse desembargador, as leis brasileiras seriam cumpridas à risco em vez de serem desmoralizadas por qualquer cretino que se acha no direito de conspirar contra o povo desse miserável país.
Parabéns ao digníssimo Meritíssimo Desembargador Rogério Medeiros Garcia de Lima!
É de gente assim que o país precisa!

Ministro Diz Que Precisa Enxugar As “Regalias Dos Professores”


Desde que assumiu, Michel Temer mira seus canhões no setor público do país. Não à
toa, sua principal medida até aqui é a edição da PEC 241, que limita os gastos nessa
área por 20 anos. Isto traz impactos negativos para o funcionalismo da União,
estados e municípios, que poderá ficar com salários congelados por duas décadas.
Nessa linha de ataques ao setor público, o governo federal começa a fazer
dobradinha com prefeitos e governadores no sentido de atingir ainda mais,
negativamente, o pessoal do magistério. Segundo técnicos do MEC, redes estaduais e
municipais de educação são gigantes demais e consomem muito dinheiro de estados e municípios.  “É preciso enxugar, pois 12 estados cogitam declarar calamidade
financeira”, alardeiam no site da Agência Brasil.
Uma das principais saídas em discussão entre Temer e gestores de estados e
municípios é o “enxugamento” de supostas regalias dos professores. “Eles têm férias
de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até lanche
grátis”. Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou
o país continuará quebrado”, dizem burocratas do MEC.


Rebate
As representações dos educadores, no entanto, ponderam que o problema é
outro. “Temer que enxugar o setor público para fazer caixa e manter com ainda mais
privilégios meia dúzia de grandes empresários e banqueiros que financiaram o golpe
de Estado no país”, declara a professora Ana Beatriz, de Brasília.

Lula Poderá Ser Condenado Pelo TRF-4 E Preso Antes Das Eleições De 2018


Segundo publicou o Portal UOL de notícias O desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz garantiu que por interesse da nação o julgamento de Lula deve ocorrer antes mesmo das eleições presidenciais.
Lula foi condenado em primeira instancia pelo juiz Sergio Moro da 4º Vara Federal de Curitiba comandante da Operação Lava Jato no estado do Paraná, o juiz impôs pena de nove anos e seis meses ao petista pela aquisição ilícita de um tríplex no Guarujá em troca de benéficos nos contratos da Petrobrás com a empreiteira OAS, a defesa de Lula recorreu ao TRF-4 apostando em uma possível reversão da condenação, porem as últimas decisões do TRf-4 tem apavorado Lula e sua trupe.
Nesta última semana o e- tesoureiro do PT João Vaccari Neto viu sua pena dobrar de tamanho e suas esperanças de sair da cadeia se esvaíram junto com o sonho petista de absolvição de Lula.  O presidenciável aposta suas fichas em uma candidatura sórdida para presidente na tentativa de se livrar da cadeia, mas o TRF-4 pode colocar o petista na jaula entes mesmo de que ele possa perceber.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Brasil: Paraíso Dos Latrocidas, Assassinos E Vagabundos Protegidos Pelos Diretos Humanos

Esse, o Brasil.
E ainda o Trem Viagrento assina uma lei, TRAVESTIDA DE COMBATE AO CRME, que dá carta branca a Latrocidas, Assasinos e Vagabundos protegidos pelos direitos humanos.
E o desarmamento? Serve apenas para deixar a população mais vunerável nas mãos de terroristas travestidos de políticos e de bandidos que não estão nem aí para matar e ainda rir da cara da família da vítima.
http://folhacentrosul.com.br/public/imagens/57dea011a567deef38e6fa07ffd91d13.jpg

Neste 30/10/2017, o Estadão traz dados sobre o número de Latrocíncios no Brasil.
Segundo o Jornal, a barbaridade aumentou em 58%, sendo mais de 7 pessoas mortas por essa modalidade de crime, por dia em todo o País.
Isso, segundo dados estatísticos manipulados e falhos, por que todos sabem que a criminalidade é muito maior e atinge a todo o País, inclusive nas cidades do interior e na áera rural, onde o desarmamento faz mais vítimas.

Dados inéditos do 11.º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que será divulgado nesta segunda-feira, 30, mostram que esse crime subiu 57,8% no País entre 2010 e o ano passado, quando houve 2,5 mil registros ou sete casos por dia. A análise do Fórum, que reúne números oficiais, é a mais relevante do setor. A organização reúne pesquisadores e policiais no debate de políticas públicas.
No total, foram 13,8 mil assassinatos durante roubos desde 2010. De acordo com especialistas, a crise econômica associada a problemas em programas estaduais de redução de criminalidade – que perderam investimentos – é um dos fatores para entender os indicadores. Com a recessão, em muitos Estados houve queda tanto da capacidade de policiamento nas ruas quanto de investigação.

Direitos Humanos Enviou 3 Advogados Para Os Três Homens Que Mataram Kelly Durante Carona Amiga

Direitos humanos enviou 3 advogados para os três homens que mataram Kelly durante carona amiga
Os três homens já estão com sua defesa garantida pelo direitos humanos que enviou nessa semana três advogados para a defesa dos homens que assassinaram a garota Kelly que deu carona aos três bandidos.
Segundo a organização, todos merecem direitos, sem discriminação e ninguém pode ser privado de seus direitos humanos; eles podem ser limitados em situações específicas. Por exemplo, o direito à liberdade pode ser restringido se uma pessoa é considerada culpada de um crime diante de um tribunal e com o devido processo legal
Jonathan Pereira do Prado, preso que confessou a morte da jovem Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, após uma carona combinada pelo WhatsApp, estava foragido desde março, segundo a Polícia Civil de Frutal, em Minas Gerais.
Beneficiado pelo direito de saída temporária, ele não voltou ao Centro de Progressão Penitenciária (CPP), de São José do Rio Preto (SP). As informações são da Veja.
Jonathan cumpre pena por assalto e confessou ter entrado no grupo virtual com a intenção de roubar Kelly através de uma falsa carona. Outros crimes na ficha de Jonathan incluem como estelionato, furto e receptação.
Outros dois suspeitos, Wander Luis Cunha e Daniel Teodoro da Silva, que, de posse de bens da jovem, foram enquadrados por receptação e também foram presos.
A história de Kelly comoveu o Brasil, pois ela estava desaparecida deste quarta-feira quando, segundo contou a família à polícia, havia deixado a cidade de São José do Rio Preto, onde residia, para viajar até a cidade de Itapagibe, em Minas Gerais, para visitar o namorado.
Ela fazia parte de um grupo de carona e tinha combinado de levar um casal até a cidade mineira. Na hora da viagem, a mulher desistiu e foi apenas o homem, Jonathan, que não era conhecido de Kelly.
O corpo de Kelly foi encontrado na tarde desta quinta (2) em um córrego no interior de Minas Gerais. A declaração de óbito aponta para morte por asfixia e estrangulamento. O caso é tratado até o momento como latrocínio, informa a Polícia. Mas como ela foi encontrada sem as calças pode também ter sido estuprada.
Legisladores que criam leis abomináveis como essa da “saidinha” sabem da consequência de seus atos. Mas eles não ligam. Não possuem empatia pelo ser humano.
O Estado poderia ter protegido a vida de Kelly, mas escolheu brincar com vidas humanas ao adotar regras de leniência com o crime. O resultado desse sadismo está aí, com a morte de Kelly, que é mais um exemplo das vítimas de monstros que defendem leis de impunidade.
Ao dar o direito de saída temporária a Jonathan, o Estado condenou Kelly à morte.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

O Voto De Um Deputado: R$ 2,5 Milhões De Reais


Quanto custa um saco de arroz? Um saco de cimento? Uma cesta básica? Quanto
custa uma sacola cheia de medicamentos? A eleição no Brasil funciona assim. O
deputado federal identifica lideranças nos municípios e pergunta: Quanto custa o voto
aqui?
Quanto custa o voto de um deputado federal? Na democracia brasileira essa pergunta
ficou mais evidente após as denúncia de corrupção envolvendo ex-presidentes e o
presidente.
O voto do deputado federal Daniel Vilela (PMDB) pode ter custado R$ 2,5 milhões,
segundo relatos de lideranças políticas de Goiás.
Danielzinho, como é conhecido no meio, visitou Temer no dia 17 de outubro.
De acordo com o site do Planalto a emenda de R$ 2,5 milhões para o
deputado foi liberada entre setembro e outubro.
A decisão de salvar o presidente Michel Temer de uma investigação corrobora o que o
povo brasileira vem indicando: não dá mais para conar
na classe política.
Barato não saiu. Quem vai pagar essa conta salgada será todos os brasileiros



POVO NAS RUAS PEDE INTERVENÇÃO MILITAR: ‘FORA OS 513 DEPUTADOS, 81 SENADORES E TEMER!


Polêmicas sobre intervenção militar no Brasil

Principalmente após as constantes divulgações de escândalos de corrupção, descobertos após uma série de investigações, em especial da Operação Lava Jato, algumas pessoas chegaram a utilizar as redes sociais ou mesmo a fazer passeatas, defendendo a necessidade de intervenção militar.
Naquele período, muitas pessoas, inclusive artistas e formadores de opinião fizeram críticas contundentes, no sentido de que eventual intervenção por parte das forças armadas, não só causaria grande ‘retrocesso’, como também traria ‘tristes lembranças’ de um tempo de muitos erros e injustiças.
Ditadura militar
Durante a época da ‘ditadura militar’, como muitos defendem, o governo teve, de fato, avanços na área econômica e em outras áreas específicas, porém, nenhuma nação vive apenas de ‘economia’, muitos formadores de opinião, inclusive aqueles que, na época, foram exilados, por outro lado, são contrários a qualquer forma de ditadura militar, principalmente em virtude dos erros (amplamente reconhecidos) em virtude de desrespeito a direitos humanos, dentre outros.
Crescente apoio à intervenção militar
Com o crescimento da utilização de mídias sociais e redes sociais para compartilhamento de informações e ideias, muitas pessoas passaram a enxergar na intervenção militar uma possibilidade de maior ‘rigidez’, uma vez que os ‘escândalos de corrupção’ deixam a população insatisfeita, principalmente porque o ‘devido processo legal’ é, na prática, demorado.
Cada vez mais, grupos contrários à ‘onda de corrupção’, bem como jovens, na esperança de uma ‘limpeza na corrupção’, acabam aderindo à ideia de ‘regime militar’ para a política. 
Além disso o grande desrespeito aos aos direitos trabalhistas e sociais vem sendo pauta corriqueira nos projetos apresentados no congresso nacional com o aval da presidência da república. Estão massacrando o povo brasileiro de uma forma tão cruel e desumana, que causa revolta em todos os meios sociais do país. É imperativo que se tome alguma providência antes que acabem com Brasil.
Polêmicas
Recentemente, O comandante do exército do Brasil, general Mourão, chegou a declarar durante ‘evento’ privado, que existia a ‘possibilidade’ de intervenção militar, o que causou grande repercussão e inflamou ainda mais os ‘entusiastas’ da ideia.
Porém, após a repercussão das declarações, inclusive com ‘reação’ do governo, o comandante do exército chegou a ‘amenizar a questão’, porém, com uma observação importante, disse que ‘no entendimento do exército, é possível intervenção militar para evitar o caos’, ainda que não seja por solicitação de nenhum dos poderes.
Votação contra Temer
De qualquer forma, na votação sobre o arquivamento da 2ª denúncia contra Temer, mutos políticos contrários ao presidente foram incisivos e o deputado Cabo Daciolo, por exemplo, chegou a pedir em intervenção militar. #Militares

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Livre, leve e solto !!! Senadores livram Aécio.

Com a chegada de Paulo Bauer, Eunício Oliveira encerrou a votação. Com 44 votos, os senadores decidiram derrubar a decisão do STF.
Senado decidiu nesta terça-feira devolver ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) o exercício do mandato parlamentar. Aécio estava afastado da Casa desde o final de setembro por decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), que se baseou nas investigações contra o mineiro a partir das delações premiadas de executivos do Grupo J&F. O colegiado também impôs a Aécio o recolhimento noturno, medida que, assim como a suspensão do mandato, foi derrubada pelos senadores.
O julgamento da Primeira Turma do Supremo foi submetido aos parlamentares porque, na última quarta-feira, a maioria do plenário do próprio STF decidiu que qualquer medida que “impossibilitar, direta ou indiretamente o exercício regular do mandato parlamentar”, deve ser analisada pela Câmara, em casos de deputados, e pelo Senado, em casos de senadores.

CHORA BANDIDAGEM !!! FORÇAS ARMADAS AGORA VÃO PODER PEGAR PESADO. SANCIONADA LEI QUE LIVRA MILITARES DE AÇÕES CIVIS

O bagulho agora vai ficar frenético, como diz a bandidagem. Acaba de ser sancionado o projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional que livra os militares envolvidos em conflitos com civis de serem processados na Justiça comum. O projeto de lei que teve o aval de Temer transfere para a Justiça Militar os casos de crimes dolosos contra a vida de civis praticados por militares no exercício de missões como as realizadas nos morros cariocas.