sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Acessuas Trabalho apresenta programas a empresários


A equipe do Programa Acessuas Trabalho, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, realizou, na manhã dessa sexta-feira (21), no Centro de Treinamento da Unimed Circuito das Águas, um Café da Manhã para Empresários. O objetivo foi apresentar aos participantes os seguintes programas: Jovem Aprendiz, Pronatec – Aprendiz e Contratação do Menor Trabalhador.

O Programa Nacional de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho – Acessuas Trabalho tem o objetivo de promover a integração dos usuários da assistência social ao mundo do trabalho por meio de ações articuladas e mobilização social. A integração ao mundo do trabalho se dá por meio da integração de ações das diversas políticas públicas. Em São Lourenço, essas políticas são executadas pela prefeitura, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.



Prefeitura comemora Dia da Consciência Negra


A prefeitura municipal comemorou, no anoitecer de quinta-feira (20), na praça João Lage, o Dia da Consciência Negra. O evento, organizado pela Diretoria de Cultura, teve a abertura feita pelo prefeito, às 18h. Na sequência, foram feitas apresentações de capoeira e dança, encerrando com o forró na praça.

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, foi instituído oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na região Nordeste do Brasil.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Diretoria de Cultura divulga bens inventariados de São Lourenço

Foto: Ariston Cavalcanti

               
A Diretoria de Cultura divulgou a listagem dos bens inventariados do Município. O Inventário auxilia nas decisões de escolha dos Bens a serem Tombados e como instrumento de preservação, conforme disposto no Artigo 216 da Constituição Federal. Ele é um procedimento administrativo, pelo qual o poder público identifica e cadastra os bens culturais do município, com o objetivo de auxiliar as ações administrativas e legais de preservação. E tem o objetivo de promover e orientar as ações de políticas públicas apoiando a sociedade civil na salvaguarda do Patrimônio Cultural, promovendo acesso e o conhecimento ao mesmo.

Para realização do Inventário são adotados critérios técnicos conforme a natureza do Bem, podendo este ser de caráter histórico, artístico, ecológico, de acordo com as várias manifestações culturais. Basicamente o Inventário consiste em três etapas: identificação – quando se faz o trabalho de campo para reconhecimento visual do Bem e realização das pesquisas; catalogação – confecção das fichas com todos os dados levantados nas pesquisas; arquivo – acondicionamento de todas as fichas de forma organizada para possibilitar pesquisas e consultas.

A Diretoria de Cultura disponibilizou um email para denúncia sobre ameaças aos bens inventariados e tombados de São Lourenço: patrimonioculturaldenuncia@hotmail.com

Confira a listagem dos bens inventariados de São Lourenço:

1.      Alameda Silvério Sanches Neto – Centro;
2.      Chaminé da Antiga Cerâmica São Lourenço – Estação;
3.      Edificação à Alameda João Lage, nº 87- Hotel Brasil – Centro;
4.      Edificação à Alameda João Lage, nº 161 – Apiário Esperança Ltda - Parque das Águas – Centro;
5.      Edificação à Alameda João Lage, nº 161- Casa Branca - Parque das Águas – Centro;
6.      Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Centro Hidroterápico/Balneário - Parque das Águas – Centro;
7.      Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Fonte nº 8 – Sulfurosa II - Parque das Águas – Centro;
8.      Edificação à Alameda João Lage, nº 161. Fonte nº 01 – Gasosa- Oriente - Parque das Águas – Centro;
9.      Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Fonte nº 03 – Vichy - Parque das Águas – Centro;
10.  Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Fonte nº 04 – Ferruginosa - Parque das Águas – Centro;
11.  Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Fonte nº 06 - Sulfurosa I – Jaime Sotto Mayor - Parque das Águas – Centro;
12.  Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Fonte nº 07 – Sulfurosa II. Bis. Parque das Águas II – Centro;
13.  Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Fonte nº 09 – Carbogasosa - José Carlos de Andrade - Parque das Águas – Centro;
14.  Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Fonte nº 10 – Primavera - Parque das Águas – Centro;
15.  Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Fontes nº 02 (Magnesiana) e nº 05 (Alcalina) - Parque das Águas – Centro;
16.  Edificação à Alameda João Lage, nº 161 - Pavilhão Central - Parque das Águas – Centro;
17.  Edificação à Avenida Getúlio Vargas, nº 639 - Hotel Sul América – Centro;
18.  Edificação à Avenida Getúlio Vargas, nº 736 – Vila Carneiro;
19.  Edificação à Avenida Getúlio Vargas, nº 748 – Vila Carneiro;
20.  Edificação à Avenida Antônio Junqueira de Souza, nº 375 - Loja Honda Guiomoto - Antiga Prefeitura Municipal – Centro;
21.  Edificação à Avenida Daniel de Carvalho nº 11 - Educandário São Lourenço –
Estação;
22.  Edificação à Praça Duque de Caxias, s/nº - Câmara Municipal de São Lourenço – Centro;
23.  Edificação à Praça Duque de Caxias, s/nº - Fórum de São Lourenço – Centro;
24.  Edificação à Praça Doutor Ismael de Souza, nº 9 - Estação Ferroviária – Estação;
25.  Edificação à Praça Doutor Ismael de Souza, nº 11/17. Laticínios Silvestrini – Estação;
26.  Edificação à Praça Doutor José Pereira Garcia, s/nº - Fazenda Sharp – São Lourenço Velho;
27.  Edificação à Rua Aristotelina Bittencourt, nº 46 – Santa Terezinha;
28.  Edificação à Rua Aristotelina Bittencourt, nº 99 - Hotel Cruzeiro do Sul – Santa Terezinha;
29.  Edificação à Rua Aristotelina Bittencourt, nº 215 – Santa Teresinha;
30.  Edificação à Rua Arthur Gurgulino de Souza, nº 166 – Nossa Senhora de Fátima;
31.  Edificação à Rua Arthur Gurgulino de Souza, nº 193 – Nossa Senhora de Fátima;
32.  Edificação à Rua Batista Luzardo, nº 116 – Centro;
33.  Edificação à Rua Batista Luzardo, nº 448 – Porta do Céu;
34.  Edificação à Rua Benjamim Constant, nº 74 – Monte Verde;
35.  Edificação à Rua Benjamim Constant, nº 84 – Monte Verde;
36.   Edificação à Rua Clóvis Reis, nº 334 – APAE – Santa Terezinha;
37.  Edificação à Rua José Costa Soares, nº 563 – Centro;
38.  Edificação à Rua dos Andradas, nº 311 – Centro;
39.  Edificação à Rua dos Andradas, nº 365 – Centro;
40.  Edificação à Rua Doutor Eurípedes Prazeres, nº 284 – Carioca;
41.  Edificação à Rua Doutor Eurípedes Prazeres, nº 298 – Carioca;
42.   Edificação à Rua Doutor Eurípedes Prazeres, nº 310 – Carioca;
43.  Edificação à Rua Doutor Eurípedes Prazeres, nº 322 – Carioca;
44.  Edificação à Rua Doutor Eurípedes Prazeres, nº 334 – Carioca;
45.  Edificação à Rua Doutor Eurípedes Prazeres, nº 346 – Carioca;
46.  Edificação à Rua Doutor Saturnino da Veiga, nº 346 - Paraíso Hotel – Santa Terezinha;
47.  Edificação à Rua Doutor Saturnino da Veiga, nº 523 - Residência da Sra. Guilhermina Motta – Santa Terezinha;
48.  Edificação à Rua Doutor Saturnino da Veiga, nº 555 – Santa Terezinha;
49.  Edificação à Rua Doutor Ribeiro da Luz, nº 608 – Centro;
50.  Edificação à Rua Doutor Ribeiro da Luz, nº 621 – Centro;
51.  Edificação à Rua Ida Mascarenhas Lage, nº 310 - Hospital Casa de Caridade – Nossa Senhora de Fátima;
52.  Edificação à Rua Prefeito Gastão Brag, nº 23 – Monte Verde;
53.  Edificação à Rua Professora Maria do Carmo Ferraz, nº 246 – Bela Vista;
54.  Edificação à Rua Professora Maria do Carmo Ferraz, nº 254 – Bela Vista;
55.  Edificação à Rua Professora Maria do Carmo Ferraz, n º 272 – Bela Vista;
56.  Edificação à Via Ramon, s/nº - Parada Ramon;
57.  Edificação à Via Silvestre Ferraz, nº 548 - Curtume São Lourenço – Jardim América;
58.  Ermida do Senhor Bom Jesus do Monte - Parque das Águas – Centro;
59.  Fonte Comunitária Parque das Águas - Rua Doutor Eurípedes Prazeres, s/nº - Carioca;
60.  Igreja Matriz de São Lourenço – Centro;
61.  Igreja Nossa Senhora de Fátima – Nossa Senhora de Fátima;
62.  Ponte Presidente Antônio Carlos (Ponte da Estação) – Estação;
63.  Ponte Trole - Avenida Doutor Daniel de Carvalho – Estação;
64.  Portaria do Parque das Águas à Alameda João Lage, s/nº - Centro;
65.  Praça Duque de Caxias – Centro;
66.  Praça Doutor Ismael de Souza – Estação;
67.  Praça João Lage (Praça Brasil) – Centro;
68.  Praça Sagrado Coração de Jesus - Parque das Águas – Centro;
69.  Prefeitura Municipal de São Lourenço - Praça Duque de Caxias, nº 61 – Centro;
70.  Túnel de transposição entre os Parques I e II - Rua Doutor Saturnino da Veiga –
Santa Terezinha;
71.  Santo Sudário de Cristo - Ermida do Senhor Bom Jesus do Monte - Parque das Águas – Centro;
72.  Locomotiva a vapor Manuela - Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) – Estação;
73.  Locomotiva a vapor nº 327 - Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA) – Estação;
74.  Locomotiva a vapor, nº 1427 - Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA) – Estação;
75.  Sino - Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA) – Estação;
76.  Conjunto Paisagístico Montanha Sagrada – São Lourenço Velho;
77.  Ilha dos Amores - Parque das Águas – Centro;
78.  Lago do Parque das Águas I - Parque das Águas – Centro.


3º Pelotão de Bombeiros recebe visita de Bombeiros Reformados.

  


Na data de 18/11/2014, o 3º Pelotão de Bombeiros recebeu a nobre visita de companheiros de farda reformados do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, que serviram em Belo Horizonte, sendo a maioria com média de 25 anos de término das atividades e de 75 anos de idade. Os Bombeiros visitantes conheceram as dependências do Quartel e se emocionaram ao se lembrarem de seus tempos em atividades, contaram vários casos sobre atuações em ocorrências e receberam muito carinho e satisfação por parte dos integrantes do 3º Pelotão de Bombeiros. Na  foto acima estão os Bombeiros reformados, Tenente Rosemiro Ferreira, Tenente Élcio Machado Horta, Subten Alicério Quirino, 1º Sgt Joaquim Dias e 3º Sgt Joselino, além dos Bombeiros Militares do Pelotão de São Lourenço.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Profissão: Professor



Já reparou como as palavras profissão eprofessor se parecem? Elas nasceram da mesma raiz etimológica, o que faz todo o sentido: o professor é a primeira das profissões. Todas as outras especialidades e habilidades técnicas só podem existir quando há professores ensinando-as aos seus discípulos. Toda profissão precisa deprofessores.
Essa origem semântica, que resume o valor intrínseco e original do "ser professor", está esquecida, perdida no tempo. Hoje em dia, sobretudo no Brasil, profissão e professor estão separadas. Na lista das profissões "ideais" - aquelas que as mães sonham para seus filhos e filhas, aquelas que remuneram melhor, são respeitadas, conferem status social e abrem as portas para o seleto e esnobe clube da elite - não aparecem os professores. Sinais dos tempos: no sonho do jovem brasileiro, rebolar em programa de auditório e virar craque de futebol figuram entre as profissões reluzentes ("Reluzem mas não são ouro...", professaria o profeta). Não poderia haver deturpação maior do sentido original, até porque esse tipo de atividade não requer professor. Serão mesmo profissões?
Não, não são. É preciso questionar a linguagem, desconstruir alguns termos que camuflam a realidade, ao colocar em um mesmo saco coisas tão diferentes que, no fim das contas, as palavras acabam perdendo a força e o sentido. Nessas hora, um bom exercício é voltar aos primórdios das palavras, à língua primeira que as formou e aos seus sentido primitivos, que nos ajudam a repensar e redimensionar nossos conceitos, mudando em seguida a prática.
O que é ter uma profissão? O que é ser professor? Ambas as palavras derivam do latimprofessum, que por sua vez vem do verbo profitēri: "declarar perante um magistrado, fazer uma declaração, manifestar-se; declarar em alto e bom som, afirmar, assegurar, prometer, protestar, obrigar-se, confessar, mostrar, dar a conhecer, ensinar, ser professor" (Houaiss).
São muitos significados convergindo para um só sentido: professar é algo grave, importante, que requer iniciativa, responsabilidade e segurança. Eis aí resgatada a nobreza do compromisso com a profissão: ser professor é "obrigar-se", ou seja, imbuir-se intimamente neste papel afirmativo e de liderança. A maioria dos verbos que o descrevem envolvem também a comunicação. Isto quer dizer que professar não é ação solitária, isolada ou introspectiva. Requer o outro, direciona-se a alguém, só faz sentido porque existe o aluno.
Em latim, alumnus era "criança de peito, lactente, menino, aluno, discípulo", palavra derivada do verbo alěre, que significava "fazer aumentar, crescer, desenvolver, nutrir, alimentar, criar, sustentar, produzir, fortalecer etc.". Novamente, as origens nos lembram com quem estamos lidando e a importância da nossa missão. Os alunos, que tantas vezes definimos como "pestes", indisciplinados, dispersos, bagunceiros, desinteressados ou limitados, antes de todos esses adjetivos são simplesmente crianças e adolescentes, indivíduos em formação, cujo crescimento será marcado por nossa intervenção. Somos responsáveis por "alimentar", "sustentar" e "fortalecer" essas pessoas. Palavras poderosas, bem adequadas às transformações que um bom professor é capaz de operar. As dificuldades que porventura surgirem (e sempre surgem) não podem nos afastar da missão primordial de contribuir para o desenvolvimento dos alunos.
Missão nobre mas árdua, sem dúvida. Ninguém pode dizer que é fácil a vida do professor, seja ele professador, profitente, preceptor, docente, mestre, pedagogo, diretor. Estes são sinônimos que se cruzam nas várias definições do ofício de educar, mas que apontam para origens diversas:
  • Professor s.m. - 1. aquele que professa uma crença, uma religião; 2. aquele cuja profissão é dar aulas em escola, colégio ou universidade; docente, mestre;2.1. aquele que dá aulas sobre algum assunto; 2.2. p. ext. aquele que transmite algum ensinamento a outra pessoa; 3. aquele que tem diploma de algum curso que forma professores (como o normal, alguns cursos universitários, o curso de licenciatura etc.); 4. fig. indivíduo muito versado ou perito em alguma coisa; adj.5. que professa; profitente; 6. que exerce a função de ensinar ou tem diploma ou título de professor.
  • Docente adj. 2g. 1. referente ao ensino ou àquele que ensina. Do latim docēre, "ensinar".
  • Mestre s.m. - 1. pessoa dotada de excepcional saber, competência, talento em qualquer ciência ou arte; 2. indivíduo que ensina, que dá aulas em estabelecimento escolar, ou particularmente. Do latim magĭster, "o que manda, dirige, ordena, guia, conduz. [Têm a mesma origem as palavras maestro, magistratura, magistral...]
  • Pedagogo s.m. - 1. escravo que acompanhava as crianças à escola; 2. pessoa que emprega a pedagogia, que ensina; 3. aquele que tem a prática de ensinar. Do grego paidagōgós, "escravo encarregado de conduzir as crianças à escola; preceptor de crianças, pedagogo", pelo latim paedagōgus, "o que dirige meninos, aio, pedagogo, preceptor, mestre, diretor".
  • Preceptor adj. s.m. - 2. que ou aquele que dá preceitos ou instruções, educador, mentor, instrutor. Do latim  praecēptor, "o que lança mão de algo antecipadamente, o que ordena, instrui, mestre".
Quantos sentidos diferentes, e até mesmo contraditórios, pode conter uma mesma palavra!
Quem diria que pedagogo, na Grécia Antiga, era o escravo que acompanhava as crianças, ou uma espécie de preceptor, de aio encarregado apenas pela educação doméstica das crianças de famílias nobres ou ricas! Isto mostra como a educação de crianças era considerada um assunto menor, ou no máximo um assunto para ser resolvido em casa, e apenas pelas famílias que tinham condições. Não havia a preocupação com a formação das crianças desde cedo, pois elas não eram consideradas cidadãos. O ensino formal começava apenas mais tarde, e privilegiando, é claro, os meninos.
Também é curioso ver a definição diretor associada a pedagogo. Estamos habituados a chamar de diretor apenas aquele que é responsável pela escola ou instituição educativa. O uso da palavra resumiu-se, portanto, a um conceito estritamente trabalhista, ou seja, ao nome de um cargo e de uma função designados pelo Estado. O significado educativo de diretor, no entanto, é muito mais rico e merece ser resgatado.Diretor é quem dirige ou, como define o dicionário, quem "orienta, fundamenta", o "norteador". Assim o título ganha em abrangência, pode ser invocado por todo e qualquer educador que oriente os seus alunos, indicando-lhes o "norte", o rumo, a direção a se tomada.

Ensinar é ensignar

Em comum, no meio de tantas ideias e associações, sobressai uma ação: ensinar. Professor é quem ensina. E o que é ensinar?
Ensinar v. 1. repassar (a alguém) ensinamentos sobre (algo) ou sobre como fazer (algo); doutrinar, lecionar. 1.1. p. ext. transmitir experiência prática a; instruir (alguém) por meio de exemplos; 1.2. tornar (algo) conhecido, familiar (a alguém); fazer ficar sabendo; 1.3. dar lições a, instruir; 1.4. mostrar a alguém as consequências ruins de seus atos; 2. mostrar com precisão, indicar.
Eis uma palavra que poderia ter infinitas definições, ganhar um dicionário só para ela. As que estão aí em cima sugerem princípios interessantes. Por exemplo, a necessidade de trabalhar experiências práticas, seja para exemplificar um conteúdo, seja como objetivo mesmo da Educação: ensinar para a vivência cotidiana, concreta, e não ficar preso a abstrações e teorias distantes da realidade. Outro exemplo: discutir as possíveis consequências negativas dos nossos atos, o que significa educar para a cidadania, falar das relações sociais, das responsabilidades de cada um para com o grupo (família, turma, escola, cidade, país), de direitos e deveres.
Tudo isso está contido, por definição, no ato de ensinar. Mas já vimos que nem sempre a realidade casa bem com a definição. Sobretudo quando se fala em "ensinar". Este verbo terá tantas definições diferentes quantos forem os professores e professoras do Brasil, multiplicados pelo números de turmas e alunos que interagem com eles. Não existe uma fórmula única, uma maneira "correta" de educar que possa ser reproduzida por todos os professores e escolas. E isto implica em uma responsabilidade ainda maior: cabem a cada um de nós as soluções próprias para cada situação e a consciência de estarmos fazendo o melhor.
O segredo está na origem de ensinar: a palavra latina insignīre, que quer dizer "por uma marca, distinguir, assinalar". É a mesma origem de "signo", de "significado". Nossa missão é nada menos do que isso: apontar o significado das coisas, assinalar o que julgamos importante, marcante, distinto. Para isso é necessário selecionar, escolher, julgar segundo critérios subjetivos. Quando ensino algo, por mais que seja apenas um conteúdo do currículo tradicional, estão embutidos na minha forma de ensinar os meus valores culturais, morais, éticos, a minha capacidade de interpretar os signos e de me comunicar. Para além do que digo ou escrevo, meu ato de ensinar inclui também o meu comportamento, minha maneira de ser, pensar e agir, até mesmo fora da escola. Ser professor refere-se também, e sobretudo, ao exemplo que se dá. Mais do que "transmitir saberes", ensinar é ensignar: emitir novos signos, que os alunos recebem, interpretam, digerem e levam vida afora.
Aí está a nossa grandeza e o nosso heroísmo: desempenhar uma das mais relevantes missões humanas sob as mais adversas condições sociais. Há de se concordar com o que diz o escritor José Saramago sobre os professores: "São os heróis do nosso tempo".

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Protesto de professores termina com bate-boca em São Lourenço


A reunião da Câmara dos Vereadores de São Lourenço  terminou em confusão na noite desta segunda-feira (17). Vereadores discutiram com professores que foram se manifestar no local devido ao aumento da carga de trabalho sem reajuste salarial. Por causa disso, os alunos têm sido liberados antes do horário normal.
Em determinado momento, o desentendimento acontece entre o presidente da câmara e uma das professoras. Neste instante, o vereador chama a educadora de 'peitudinha'. "Você é muito peitudinha. Você fala muito, mas você não conquistou nada. Você é mal educada como sempre", disse o presidente da Câmara, Luiz Cláudio Siqueira, no plenário.
O vídeo que mostra a fala do vereador repercutiu nas redes sociais. Procurado, o presidente da Câmara deu sua versão sobre o que aconteceu.
"O que aconteceu foi que os ânimos se exaltaram e a professora, na hora que eu iniciei o meu posicionamento frente ao projeto, ela me interpelou, falando alto, levantou e gritou", disse o vereador, que afirmou também que só estava tentando cumprir o regimento interno da câmara, que diz que qualquer pessoa pode assistir às reuniões, desde que em silêncio e que não demonstre apoio ou desprovação durante as sessões.
Para a educadora que foi ofendida, a discussão não precisava chegar neste ponto.
"Eu me senti extremamente ofendida, desrespeitada, porque em momento nenhum eu me referi ao presidente de maneira grosseira", se defendeu a professora Leila Palma.
O assunto será analisado novamente pelas comissões da câmara e será discutido novamente na reunião em até 30 dias. Uma das principais reinvindicações dos professores é de que o plano de carreira deles seja separado do plano dos outros servidores do município.
Professores reivindicam aumento de salário devido a carga de trabalho (Foto: Reprodução EPTV)Professores reivindicam aumento de salário devido a carga de trabalho (Foto: Reprodução G1)



Fonte G1

Rio Verde grita por socorro

Foto tirada da ponte da estação

O Rio Verde apesar das chuvas recentes, está com seu nível muito abaixo do normal. Em alguns pontos podemos ver pequenas ilhas que se formam e plantas que submergem como jardins em pleno leito do rio. Além disso o rio está muito assoreado e por conta disso as pequenas ilhas surgem por todo o leito. Essa é talvez a maior seca que o rio enfrenta em mais de 30 anos.

CAMINHÃO DE SUCATA TOMBA PERTO DA PALMELA


Um caminhão que transportava sucata tombou neta terça feira,18, próximo a entrada da Palmela na BR 460. O caminhão com placas GPM 8842, de Passa Quatro, não suportou o peso e devido a inclinação da pista, acabou tombando. O acidente não prejudicou o trânsito, já que o caminhão tombou no acostamento. Ninguém ficou ferido.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Culinária - Creme de Limão



Ingredientes:

. 1 colher (sopa) de amido de milho
. 1 xícara (chá) água
. 5 colheres (sopa) de açúcar
. 2 limões
. 2 colheres (sopa) de creme de leite
. 2 colheres (sopa) de leite condensado

Modo de preparo:

Dilua o amido na água e junte o açúcar. Leve ao fogo baixo, mexendo até engrossar. Deixe esfriar. Lave e raspe a casca dos limões, esprema o suco e reserve. Bata no liquidificador o creme frio, o creme de leite, o leite condensado e o suco de limão. Despeje em taças e decore com raspas de limão. sirva gelado.

Homem tenta fugir, mas é preso por tráfico de drogas em São Lourenço


Na noite desse domingo, a Polícia Militar durante patrulhamento na Rua Luiz Lobo, bairro São João, prendeu um homem de 28 anos por tráfico de drogas.
Durante operação batida policial a PM avistou uma motocicleta conduzida pelo autor de 28 anos, que é inabilitado e sobre o qual recaem denúncias de envolvimento com o tráfico de drogas e viu quando ele contatou um homem de 29 anos, que também possui denúncias por envolvimento com o tráfico, e após receber dele uma embalagem, saiu rapidamente.
Os militares deram sinal de parada ao autor que ao tentar fugir perdeu o controle da direção da motocicleta vindo a cair e jogar uma embalagem contendo cerca de 100 gramas de crack debaixo da viatura, ele ainda tentou se levantar e fugir, porém foi contido e preso.
Com o homem foram apreendidos dois aparelhos de telefone celular, R$27,00 em dinheiro e a motocicleta utilizada para o transporte de drogas.
O autor foi preso e conduzido até a Delegacia de Polícia Civil juntamente com a droga apreendida, onde foi ratificado o flagrante.
O veículo foi apreendido e removido ao pátio credenciado do DETRAN.
Durante o mês de agosto foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência do autor onde foram apreendidos munições, R$ 2687,00 em dinheiro e um cigarro de maconha.

Fonte: PMMG

 
Design by Rogério Brasil | 2010 Seu site sem enrrolação! - Contato | opopular.net@hotmail.com.br