domingo, 14 de abril de 2013

Vovô pega a estrada com carrinho no sul de minas - Só queria testar a potência...


"Vocês querem dar uma volta no carrinho?", perguntou  o aposentado Pedro Pelegrino, de 93 anos, que foi flagrado dirigindo uma cadeira motorizada em uma rodovia entre as cidades de São Gonçalo do Sapucaí (MG) e Cordislândia (MG).  Sobre a imprudência, alegou que só queria  testar a potência do veículo. "Queria ver se ele andava bem na reta, no morro, até quanto ele aguentava", disse Pelegrino.
O flagrante foi registrado na manhã de quinta-feira (11) pelo internauta Márcio Mineiro, que passava pelo local. "Eu moro em Pouso Alegre (MG) e fui até aquela região para fazer um serviço quando vi aquele senhor andando na rodovia. Fiquei assustado e preocupado, porque vi que ele já tinha uma idade avançada", disse Mineiro.
Pelegrino, que tem quatro filhos, 15 netos e sete bisnetos, já foi presidente da Câmara de Vereadores de Careaçu (MG) e chegou a embarcar para Fernando de Noronha para lutar na 2ª Guerra Mundial, mas não chegou a entrar em combate. Ele é constantemente visto circulando pelas ruas de São Gonçalo do Sapucaí com o carrinho elétrico, que usa devido à idade avançada, já que as pernas não têm mais a mesma força.
Pelegrino e o carrinho que ele usa para andar pela cidade. (Foto: Tiago Campos / G1)Pelegrino e o carrinho que ele usa para andar pela cidade. (Foto: Tiago Campos / G1)
"Ele não tem nenhum problema de saúde. Ele usa para sair de casa. Mas ele é muito teimoso. Quando põe alguma coisa na cabeça, ninguém tira", disse um dos filhos do idoso, José Raimundo Pelegrino.
Pouco antes de ser flagrado na estrada, Pelegrino passeava com uma funcionária, que toma conta dele: ele de carrinho, ela de bicicleta. Só que em determinado momento, o idoso avançou e ela não o alcançou. "Ele acelerou muito e eu não tive como ir atrás. Aí fiquei esperando ele voltar. Só agora descobri que ele foi para a rodovia. Ele só faz arte", disse a cuidadora Márcia Regina.
Carrinhos elétricos como este são usados em supermercados e shoppings, custam em torno de R$ 10 mil e fazem até 15 quilômetros por hora. Apesar de não ter achado perigoso, Pelegrino disse que não vai mais se aventurar pela rodovia. "Não tem perigo, lá os carros andam devagar. Mas agora, vou instalar retrovisores no carrinho", zombou o aposentado.
Pelegrino agora quer testar o novo carrinho que acaba de comprar e que chegou há poucos dias. "Esse aqui está zero quilômetro ainda", brinca. A família do idoso pelo menos espera que ele não faça o teste novamente na rodovia.
No cinema também foi real
Idoso e sua cuidadora: "Ele só faz arte". (Foto: Tiago Campos / G1)Idoso e sua cuidadora: "Ele só faz arte".
(Foto: Tiago Campos / G1)
A cena lembra o filme "Uma história real", do cineasta David Lynch, no qual um idoso faz uma viagem pelos EUA pilotando um cortador de grama. No cinema, o protagonista, ao ficar sabendo que o irmão está gravemente doente, decide pegar uma estrada interestadual para visitá-lo pilotando a máquina de jardim porque não tem carteira de habilitação e não há ônibus na rota que precisa tomar. O filme se baseia em uma história real ocorrida em 1994. O agricultor Alvin Straight viajou por 418 quilômetros entre os estados de Iowa e Wisconsin.
Segundo a Polícia Rodoviária Estadual de Varginha, não existe uma legislação específica que regulamente o uso de cadeiras motorizadas em rodovias. Esse tipo de veículo não poderia ser usado nas estradas, por isso a recomendação é que as pessoas que flagrarem veículos semelhantes na pista entrem em contato imediatamente com a polícia.
Pelegrino agora quer testar o novo carrinho que acabou de chegar (Foto: Tiago Campos / G1)Pelegrino agora quer testar o novo carrinho que acabou de chegar (Foto: Tiago Campos / G1)


0 comentários:

Postar um comentário